MS: Cirurgias eletivas oftalmológicas no Alfredo Abraão

22/12/2017 | 07:55

 

 

Na terça-feira (19), o governador Reinaldo Azambuja e o secretário de Estado de Saúde, Carlos Coimbra, acompanharam os atendimentos realizados no hospital 
Cerca de 1.200 cirurgias eletivas de oftalmologia estão sendo realizadas no hospital de Câncer Alfredo Abraão, esta semana, em uma ação de saúde realizada em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul. Os procedimentos são direcionados aos pacientes da fila do Sistema Único de Saúde (SUS) das microrregiões de Campo Grande e de Ponta Porã, que também conta com a realização de consultas e exames oftalmológicos. 
Nessa terça-feira (19), o governador Reinaldo Azambuja e o secretário de Estado de Saúde, Carlos Coimbra, acompanharam os atendimentos realizados no hospital. Para o governador, a ação tem como principal objetivo dar prosseguimento à filosofia iniciada pela Caravana da Saúde em diminuir a fila de espera para procedimentos de saúde. 
“Estamos buscando um reforço para dar continuidade a esta iniciativa. Esta parceria com o hospital de Câncer está realizando inicialmente 1.200 cirurgias e o nosso objetivo é ampliar esta demanda. Com a Caravana chegamos a realizar mais de 40 mil cirurgias de catarata e ainda temos na fila mais 17 mil pessoas. Se conseguirmos mais parcerias com hospitais públicos e filantrópicos vamos zerar esta fila, este é o nosso desafio a partir de agora”, afirmou o governador. 
A expectativa é de que 400 pessoas sejam atendidas diariamente no hospital durante a ação. Durante a manhã, pacientes de vários municípios do interior comemoravam a realização dos procedimentos após uma longa espera na fila do SUS. Aos 77 anos, José Domingos Soares já não acreditava mais na possibilidade de fazer uma cirurgia nos olhos. Há seis meses ele passou pela consulta, depois de muitos anos na fila e, “de repente já fui chamado”. “Foi muito rápido. Estou lutando há bastante tempo com esses olhos. Vou operar da catarata do direito e no esquerdo vão raspar o excesso de carne”, contou ele com sorriso no rosto enquanto aguardava a cirurgia. 
Há seis meses Geraldo Batista de Araújo, 57 anos, aguardava pela cirurgia de catarata. Hoje, ele foi operado de uma das vistas que, conforme contou, já estava incomodando bastante. “O meu olho direito já estava incomodando bastante para enxergar. Eu acho que se não tivesse acontecido esse mutirão, eu ficaria uns três ou quatro anos na fila”, disse. 
A ação de cirurgias eletivas conta com recursos do Governo Federal de R$ 1,4 milhão e serão atendidos pacientes da microrregião de Campo Grande e Ponta Porã, que incluem as cidades de Bandeirantes, Camapuã, Corguinho, Jaraguari, Nova Alvorada do Sul, Ribas do Rio Pardo, Rochedo, Terenos, Bonito, Porto Murtinho, Amambai, Antonio João, Aral Moreira, Coronel Sapucaia, Paranhos, Sete Quedas e Tacuru. 

Os pacientes operados terão três retornos: o primeiro, realizado dois dias após a cirurgia; o segundo sete dias depois; e o último retorno 30 dias após o procedimento. Todas as intervenções cirúrgicas devem ser feitas no prazo de uma semana. 

Fonte: A Crítica