Notícia 03/03/2017

DF: Testes rápidos de HIV, sífilis e hepatite são oferecidos

De acordo com Secretaria de Saúde, procura por exames aumenta após o carnaval. Foram colocados à disposição 18 mil kits. 
A Secretaria de Saúde do Distrito Federal disponibilizou 18 mil kits para diagnóstico de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), como HIV/AIDS, hepatite B e também sífilis. De acordo com a secretaria, a procura aumenta depois do carnaval, uma vez que a exposição às doenças cresce nessa época do ano. 
De acordo com a secretaria, os testes podem ser feitos em qualquer unidade de saúde do DF, entre segunda e sexta-feira, e também no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) da Rodoviária do Plano Piloto. Caso o resultado seja positivo, a pessoa pode procurar tratamento na mesma rede pública em que fez o teste.
"O objetivo é gradualmente aumentar a utilização desta metodologia a fim de aumentar a detecção dos casos e a oportunidade de tratamento das pessoa", afirmou D'Ávila. 
Janela imunológica 
O gerente de DST da Secretaria de Saúde do DF faz um alerta aos foliões. Os testes só são eficientes após trinta dias da última situação possível de risco. Ou seja, não adianta querer fazer o teste imediatamente após o carnaval, é preciso esperar. 
"Se uma pessoa teve uma situação em que suspeita ter contraído uma infecção sexualmente transmissível deve procurar uma unidade de saúde para ter acesso ao diagnóstico. No entanto, não adianta fazer o teste no dia seguinte. Os testes devem ser feitos cerca de 30 dias depois da última situação de risco para poder detectar a presença dos vírus no organismo. É a chamada janela imunológica", disse. 
Estatísticas 
Em 2016, o Distrito Federal registrou 1.791 novos casos de sífilis, desses 298 foram verificados em gestantes. Já o HIV/AIDS infectou 862 pessoas, desses, 65 eram mulheres grávidas e uma criança foi infectada pela mãe, via gestação. A hepatite B foi diagnosticada em 377 pessoas. 

Fonte: (G1)

Total de visita(s): 73