Notícia 31/07/2017

MG: Modelo de gestão do HR é divulgado em Uberaba

O modelo de gestão do Hospital Regional José Alencar, em Uberaba, foi divulgado na manhã da sexta-feira (28), durante coletiva de imprensa no anfiteatro do hospital. A Universidade de Uberaba (Uniube) vai operar a parte técnica-administrativa, e a Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), por meio da Fundação de Ensino e Pesquisa de Uberaba (Funepu), será responsável pelo corpo clínico. 
O prefeito, Paulo Piau, declarou que o hospital será aberto no final de agosto. "Está dependendo apenas da agenda do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde (SES-MG)”, acrescentou. 
A gerência do Hospital Regional contará com apoio e fiscalização do Conselho Gestor, composto por membros paritários: Secretaria Muncipal de Saúde (SMS), no papel de representante também do Governo Federal, Conselho Municipal de Saúde, Colegiados das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems), Secretaria Estadual de Saúde, representada pela Superintendência Regional de Saúde, UFTM e Uniube. 
“Nós vamos, talvez, aplicar em torno de R$ 50 milhões no hospital equipado. Mas quando o hospital estiver à plena carga, serão R$ 60 milhões, por ano, de custeio. Então, a participação de 50% de custeio do Ministério da Saúde, com 25% de custeio do Estado e com mais 25% dos municípios da região, incluindo Uberaba, nós o viabilizamos [o hospital]. Já temos a publicação da União e do Estado firmando o compromisso. Faltam ainda os municípios da região para que possamos estar unidos na diminuição da deficiência de leitos em Uberaba”, disse o prefeito. 
De acordo com o secretário municipal de Saúde, Iraci Neto, foram traçadas posições bem definidas para operacionalização do hospital. O modelo, como ele indica, foi construído com as universidades participando das diretrizes assistenciais, financeiras e de ensino e pesquisa. 
Participação de universidades 
Para a reitora da UFTM, Ana Lúcia de Assis Simões, a universidade tem a oportunidade de participar do Conselho Gestor contribuindo com definições e estratégias para uma saúde pública de qualidade. 
"É com expectativa que a universidade participa deste Conselho pensando em construir um modelo técnico-assistencial que possa levar à população um atendimento digno. Além da questão da assitência, há a oportunidade, também, de pensar em possibilidades de inserção de estudantes, seja a nível de residência ou graduação", comentou. 
O reitor da Uniube, Marcelo Palmério, afirmou que a cooperação entre os serviços hospitalares da cidade é um dos pontos mais importantes desta nova gestão. 
“Além da satisfação de fazer parte desta estrutura, gostaria de salientar que a minha visão não é apenas a prestação de serviço. Eu acho que vamos poder construir um modelo de cooperação, de colaboração que será inédito. Temos que trazer todos os prestadores de serviços hospitalares para uma participação, para que a rede não seja apenas teórica, mas de pessoas que tenham interesse em melhorar a qualidade de prestação de serviço público de saúde em Uberaba”, disse Palmério. 
Funcionamento 
Conforme divulgado pela assessoria da Prefeitura, o HR atenderá casos de média complexidade de especialidades médicas e cirúrgicas, com ênfase na ortopedia, por ser uma especialidade com grande demanda de urgência e emergência. 
O atendimento será “portas-fechadas”, ou seja, o acesso ao hospital será via sistema regulatório, por meio de atendimento prévio nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Além disso, o HR também poderá fazer parte do atendimento das campanhas cirúrgicas eletivas, via Governo Federal. 
O início das operações no Hospital Regional, que atenderá mais 27 municípios da região, contará com 55 leitos, sendo 45 de clínica médica e cirúrgica, mais 10 leitos de UTI. São dois blocos cirúrgicos completos, com apoio de serviços de imagem e patologia. 
“Dentro desta gestão, cada entidade vai ser responsável por determinadas áreas. A Funepu está com a gestão na área assistencial, com médicos que vão prestar serviços ao Hospital Regional. Para esta primeira etapa, estamos fazendo um estudo e levantamento em relação ao quantitativo de pessoal que vamos precisar, mas a previsão é que mais de 100 pessoas sejam envolvidas”, contou o presidente da Funepu, José Eduardo dos Reis Félix. 
Protocolo de urgência na cidade 
Também no evento da sexta-feira, o Manual de Protocolo de Urgência e Emergência da cidade, que passou por reformulação, foi apresentado aos entes que fazem parte do sistema. O objetivo é reorganizar o fluxo de acordo com as estruturas existentes no município e, assim, promover mais agilidade aos serviços de saúde, seja no atendimento público ou privado, para urgências e emergências, diminuindo o tempo de espera do encaminhamento do paciente. 

Fonte: (Mariana Dias - G1)

Total de visita(s): 68